Como "fazer" torques nos alinhadores estéticos - Manhattan - Consultoria de Casos Clínicos

Como "fazer" torques nos alinhadores estéticos

(Vídeo) Conheça a ferramenta Power Ridges da Invisalign
Data:

Controle de Torque Radicular com Alinhadores


Neste vídeo, o Dr. Marco Paulo Lara mostra uma ferramenta muito importante do ClinCheck que é o controle de inclinação (torque) radicular, através de mais um planejamento ortodôntico virtual (set up virtual) . Um caso clínico Classe II, div. II, com sobremordida e retroinclinação dos incisivos superiores.

A queixa da paciente era um "degrau vertical" dos incisivos laterais em relação aos incisivos centrais devido, principalmente, a retroinclinação dos dentes anteriores. Um caso relativamente tranquilo para ser abordado com os alinhadores.

Notar a retroinclinação exacerbada dos dentes 11 e 21 e a queixa da paciente (relativa aos posicionamentos mais vestibulares dos incisivos laterais superiores em relação aos caninos).

Do lado esquerdo é possível notar uma "leve" relação de Classe II (de caninos). O tratamento proposto pelo ClinCheck para a correção desta relação desarmônica é primeiramente executar a correção da inclinação vestibular dos incisivos superiores para em seguida, vestibularizar os dentes ânteroinferiores reposicionando, facilmente, os caninos em relação de Classe I, com uma intercuspidação melhor deste lado.

Do lado direito há uma relação de Classe I estável que será mantida ao final do planejamento.

As retas azuis existentes nas cervicais dos incisivos superiores são os Power Ridges. Esta ferramenta do ClinCheck nos permite um controle do torque radicular melhor.

Os Power Ridges são bolhas positivas, internamente posicionadas nos alinhadores (verificadas por um alto relevo interno) que em contato com as regiões cérvicovestibulares dos incisivos deslocam suas raízes em direção palatina.

É importante ressaltar que, quando os incisivos superiores estão muito retroinclinados (relação de Classe 2, div. II), suas coroas estão lingualizadas e as raízes, em contrapartida, com torque vestibular excessivo.

Independentemente da técnica escolhida (braquetes ou alinhadores), para que ocorra o giro controlado do dente, serão necessários dois pontos de aplicação de força: Um na região incisopalatina (pressionando o elemento dentário para vestibular) e um segundo, na região cérvicovestibular do dente (pressionando o dente no sentido oposto).

Neste caso em especial, note o torque excessivo de raiz para vestibular dos incisivos superiores. Verifique que, na tabela de movimentos (marcando a opção raiz), o tratamento proposto sugere um torque para lingual de 10,2º na raiz do elemento 11 e de 8,4º na raiz do homólogo 21.

Lembre-se que, quase sempre ao sugerir um movimento vestibular de coroa em um determinado dente será necessário um controle desta inclinação através de um binário de força, que permita a raiz deslocar-se em direção ao centro do osso (o que justifica a presença dos Power-Ridges).

E no caso dos alinhadores In-Office?

Os alinhadores criados em consultório também podem se valer do controle binário de torque proposto pelos Power-Ridges. Para isto, basta criar um alinhador com torque vestibular (através da manipulação dos modelos digitais em software específico) e manualmente, acrescentar uma bolha na face vestibular da placa (criada através dos alicates de refinamento).

Uma última observação importante é que, nestes casos, o recorte do alinhador deverá ser mais alto para que o plástico do alinhador "abrace" mais superfície de contato e promova um movimento mais rápido e controlado.

Clique abaixo e baixe agora um E-Book sobre Attachments em alinhadores 👇🏻👇🏻


Para mais conteúdo de valor, participe de nosso grupo no TELEGRAM, clicando no ícone abaixo wink

Acesse seu aplicativo e procure pelo canal: Alinhadores In Office e Ortodontia Digital

Link de Convite: t.me/alinhadoresortodonticos

Fale Conosco